Filtro de imagem
Visitar o Site

Lua Cheia - Saven

Os melhores Vinhos de Portugal

Contar a história da Lua Cheia-Saven é debruçarmo-nos sobre a personalidade do empresário Manuel Dias e do enólogo Francisco Baptista. Tudo começou ao contrário, primeiro chegou o mercado, depois o vinho, as adegas, e finalmente as uvas. Foi assim que nasceu o projeto Lua Cheia em Vinhas Velhas, agora redenominado para Lua Cheia - Saven, que juntou o enólogo Francisco Baptista ao empresário Manuel Dias desde 2009, num trajeto por várias regiões vitivinícolas do país. Eles dizem que gostam de “fazer os vinhos ao contrário”, a partir da prateleira dos clientes-alvo ou, mais precisamente, da perceção que Manuel Dias tem daquilo que o mercado quer através da experiência acumulada na empresa comercial Saven, onde fatura 12 milhões de euros, e em mais de 30 anos dedicados à exportação de vinhos e produtos alimentares. Na verdade, é Manuel Dias quem costuma dizer que gosta de “fazer empresas ao contrário e sem dinheiro” e foi ele o impulsionador do projeto Lua Cheia em Vinhas Velhas, agora Lua Cheia -Saven ,no qual fundiu o seu conhecimento do mercado com a experiencia do enólogo Francisco Baptista, franco conhecedor da região do Douro e, juntos, criaram os vinhos que os mercados nacional e internacional pediam, numa assertiva relação qualidade-preço. O início da produção começou com a compra da Quinta do Bronze, sita em Vale Mendiz, Pinhão. Corria o ano de 2010 quando a primeira adega surgiu em Martim, Murça e hoje, na sub-região de Monção e Melgaço, região dos vinhos verdes, a Lua Cheia- Saven é detentora de vinhas nas Quintas da Carvalheira e Barqueira. É também proprietária de uma adega em Monção e de uma unidade de produção na Zona Industrial de Alijó. Mais recentemente o espólio dos proprietários da Lua Cheia inclui também referencias do Alentejo e do Dão. E se perceptível sempre foi a implacável visão para o negócio e a estratégia inversa de Manuel Dias, perceptível é também a singular sabedoria do enólogo Francisco Baptista, sem o qual os vinhos nunca teriam atingido a qualidade e perfeição que os caracterizam. A sede administrativa da Lua Cheia é em Ílhavo, no Edifício Saven. Ora, Ílhavo tem uma tradição secular no que diz respeito à pesca do bacalhau e foi desta especial ligação que surgiu uma referência no portfolio dos vinhos Lua Cheia sui generis: o vinho POSEIDON. Fruto de uma parceria entre a empresa Lua Cheia- Saven e o Clube dos Oficiais da Marinha Mercante, este vinho, tal como o seu nome sugere, é um Deus do mar. Foi embarcado num navio bacalhoeiro e viajou, meses, em alto mar, até aos Grandes Bancos da Terra Nova, no Canadá. Após desembarcado, cada garrafa é numerada e certificada, o vinho quando regressa vem com mais maturidade.

Ano 1823

O nosso objectivo é produzir e distribuir os vinhos que melhor refletem as qualidades únicas das várias regiões portugueses.

cenas

Adega de Monção

Corria o ano de 2012 quando, na região de Monção e Melgaço, se deu início ao investimento numa adega e duas quintas: a Quinta da Carvalheira e a Quinta da Barqueira. Foi neste, que é o berço do Alvarinho, que nasceram os nossos vinhos Nostalgia e Maria Papoila. Posteriormente, alargámos a nossa aposta na região dos Vinhos Verdes com as plantações das castas Loureiro, Alvarinho e Sauvignon Blanc dando origem aos vinhos Maria Bonita e Maria Papoila.

Quinta do Bronze

Situada na aldeia de Vilarinho de Cotas, uma das zonas onde se produzem alguns dos melhores vinhos do Douro, as origens da Quinta da Bronze remontam ao ano de 1823. Propriedade icónica da Lua Cheia – Saven, com 16 hectares de vinha que se estendem ao longo de uma encosta vertiginosa e deslumbrante, sobre a margem direita do Rio Pinhão. É aqui que nasce o Quinta do Bronze, um vinho intenso, elegante e profundo.

Enólogo

Francisco Baptista

Paixão e Experiência

Licenciou-se em Eng. Agroalimentar em 1994, tendo em 1999 concluído também a licenciatura em Enologia pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Desde 1994 que exerce funções de enólogo em vários produtores nacionais, tendo passado pelas empresas Sogrape, Quinta da Perdiz, Quinta de Vila.